sexta-feira, 27 de março de 2015

Contingência

A Fonte / Criador do Universo está presente em toda a criação, é o aspecto central de todos nós. Nós todos somos ela. Ao mesmo tempo, ela está além disto. Ela não pode ser encontrada em qualquer lugar, em qualquer tempo ou espaço em qualquer dimensão. O continuum espaço-tempo é uma criação da Fonte para explorar e espelhar-se. A fonte está constantemente trabalhando, improvisando, para explorar a criação.

A criação é baseada em infinitas possibilidades quânticas. Dentre essas possibilidades, temos o que é chamado de contingência. Contingência significa aleatoriedade, é o potencial para que as coisas aconteçam de forma aleatória, inesperadamente, sem serem planejadas. Isto significa que determinados rumos dos acontecimentos não são totalmente o resultado do projeto da Fonte, ou da criação de alguém. Eles simplesmente são aleatórios. No entanto, eles podem ser influenciados e re-criados, se usarmos nosso livre arbítrio, porque o livre-arbítrio é o fator dominante na dinâmica quântica. Isto significa que, apesar do fato de que a Fonte ser perfeita em si mesma, não é todo-poderosa dentro do continuum espaço-tempo. Mas todos nós, como representações fractais da Fonte dentro desse construto, podemos manifestar a vontade de Fonte dentro dele.

Originalmente todo o universo vivia em harmonia, e ninguém sabia o que era o dano intencional, simplesmente porque ele não faz parte da natureza da Fonte. A Fonte nunca pode significar danos, é puro Amor absoluto e Harmonia.


Art por Erial Ali

No entanto, certos eventos foram acontecendo por causa da contingência, e estes foram às vezes desconfortável, por exemplo, um cometa poderia colidir aleatoriamente em um planeta. Comparadas às circunstâncias atuais no planeta, isso ainda era muito fácil de lidar e as pessoas viviam no Paraíso.

Cerca de 8 milhões de anos atrás, alguns arcanjos poderosos decidiram absorver a contingência em seu ser, para encarnar e assumir a responsabilidade por ela, a fim de harmonizá-la com a sua consciência, e remover os seus aspectos desagradáveis.

Foi demais para eles e eles não puderam lidar com isso, ficaram submersos pela contingência, por este potencial de as coisas não serem conforme o plano. Tornaram-se desconectados com o que é próprio do plano, desconectados da Fonte.

Eles não conseguiram encontrar o caminho de volta, e eles sofreram muito. O resto do universo não sabia imediatamente como responder de forma adequada, simplesmente porque, por natureza, este evento foi inesperado. O sofrimento por um longo período de tempo fez com que estes anjos perdessem a sanidade e tornassem-se violentos. Estes são os seres conhecidos agora como arcontes, os anjos caídos. Isto é como o dano intencional, o mal, veio a existir.

Os arcontes começaram a atacar planetas e a Confederação Galáctica foi organizada para enfrentar esta situação. Ela libertou os planetas, um por um e agora estamos vendo o fim dessa história se desenrolando no planeta Terra, onde os arcontes têm agido segundo seu trauma para recriar condições similares às que levaram à sua desconexão inicialmente.

A Fonte já aprendeu que precisa incorporar algum tipo de botão automático de reconexão no modelo da criação, que será implementado uma vez que tudo for reconectado e reajustado.

Isso é vital para a compreensão do mundo em que vivemos. A desarmonia nunca foi necessária, e tudo pode a ser restabelecido em harmonia, simplesmente porque esta é a verdadeira natureza da Fonte Criadora.


Um monte de programação foi criada pelos arcontes para justificar o mal. Por exemplo, as leis do karma, que afirmam que, se eu quebrei a taça do meu amigo, então o universo vai mandar alguém para quebrar a minha taça, a fim de me ensinar as conseqüências de minhas ações. Isto significa que o universo, então, vai enviar alguém para quebrar a taça de quem quebrou minha, etc. Isso é totalmente inventado e não tem nada a ver com a verdadeira lei universal, simplesmente porque se o fosse, nada seria resolvido e sofrimento só aumentaria para sempre. A verdadeira lei universal é o perdão e a graça, e isso é o que tem sido ensinado pelos professores que tiveram uma conexão verdadeira. A vontade de Fonte é que, se alguém fez algo prejudicial, ele deve receber a cura adequada para que possa incorporar seu verdadeiro eu de novo. Alguns reequilíbrios de energia entre as pessoas envolvidas podem ser necessários, por exemplo quem quebrou a taça pode comprar outra para o seu proprietário, ou repará-la, ou fazer algum outro tipo de serviço para compensar energeticamente. Ou o proprietário da taça poderia simplesmente perdoar e a abundância infinita de Fonte reequilibraria as coisas automaticamente de alguma forma, não por tirar nada de quem quebrou a taça, mas, provendo ambos com o que for necessário. Recursos e abundância são ilimitadas.

Outro programa afirma que desarmonia é necessária para nós não ficarmos entediados, e para que a exploração de possa ocorrer. Isso, novamente, nunca pode funcionar. A criação é baseado em vibração e em relações do tipo musical entre estas vibrações. Agora, vamos imaginar todo o universo como uma grande orquestra. Antes de reproduzir qualquer música, todos os instrumentos tem que estar em sintonia, verifique se eles estão em harmonia. Se isso não for feito, se apenas um do instrumentos estiver desafinado, a música não vai soar bem e nenhuma criação será realizada. Apenas quando todos os instrumentos estiverem em harmonia a criação pode realmente começar, e, então, as possibilidades de exploração da música se tornam infinitas. Isto é como a criação funciona, a exploração só é possível quando há harmonia.

Outro programa afirma que a desarmonia é necessária para nos ensinar sobre a harmonia, que nós aprendemos lições a partir dela. Isso também não é possível. As pessoas tem essa falsa ideia quando uma experiência que a faz sofrer empurra-a a evoluir e progredir em suas vidas, mas o que realmente está ocorrendo é que os problemas que são existentes em suas vidas e que lhes dizem respeito, estão, sem saber, por um tempo sendo empurrados para o superfície de sua consciência pela experiência, e por estar consciente disso e que elea podem finalmente decidir acabar com ela. Nós não podemos ter o livre arbítrio em algo sobre o que não somos conscientes, por isso, que, eventualmente, tudo tem que ser feito de forma consciente.

O coração da cura é para nós ser de novo, complemente, Uma Fonte / Criador, para encarná-lo como todo o nosso ser. Isto significa não sermos mais vítimas de eventos que nós não projetamos, e isso acontece por escolher o que queremos criar, por entender que, a fim de sermos realmente a Fonte Una, não pode haver outra autoridade de tomar decisões por nós, já que somos ela. Nós já sabemos interiormente o que desejamos, o que nós queremos experimentar, e que verdadeiramente temos o poder de criá-lo.

Art por Gilbert Williams


25 de fevereiro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...